Como a Psicanálise entende a Depressão?

13/07/2018 - 6 minutos de leitura

Como a Psicanálise entende a Depressão?

A depressão é uma das condições de saúde mental mais comuns que trazem as pessoas para a terapia. Semelhante à ansiedade, um diagnóstico de depressão nos diz pouco sobre a pessoa que vem nos ver, sobre a sua vida ou sobre as razões por trás da depressão. É comum sentir-se deprimido em circunstâncias especiais, como perder um ente querido, passando por um divórcio ou passando por uma mudança drástica na vida. Geralmente, não se trata de depressão e não justifica a intervenção profissional pois de alguma forma consegue sair usando os  próprios recursos internos. No entanto, quando esta tristeza demora a passar e rouba sua capacidade de reação… é hora de procurar ajuda.

Sintomas da Depressão

O que chamamos de depressão clínica, no entanto, é diferente e inclui uma série de comportamentos e sintomas, observáveis por um período prolongado de tempo, normalmente mais de seis meses:

  • perda ou aumento de apetite
  • flutuações drásticas de motivação/humor
  • sentir-se apático ou letárgico e/ou “pesado”
  • retirada social/limitação de interações sociais
  • falta de vontade ou incapacidade de exercer atividade produtiva
  • faltas na escola, trabalho ou eventos familiares
  • sentimento de desespero e/ou de “estar indefeso”
  • pensar em morte ou suicídio
  • intenção de suicídio e/ou tentativa de suicídio – em formas extremas de depressão, o risco de suicídio pode ser grave e é nossa prioridade número um na terapia para certificar-se de que nossos clientes fiquem seguros.

Como a Psicanálise entende a Depressão?

Para a Psicanálise, a depressão é um sintoma, ou seja, um sinal de outra coisa que não tem sido posto em palavras. É impossível citar todas as circunstâncias que podem levar à depressão. Cada pessoa é única e o que pode ser traumático levando a depressão para uma pessoa pode não ter o mesmo impacto psicológico para outra. O importante é que reconhecer que algo está errado e que é necessário ajuda. Em alguns casos é necessário avaliação psiquiátrica a fim de prescrever medicação para estabilizar o humor da pessoa.

A cura em Psicanálise está no processo terapêutico

Na Psicanálise não apenas buscamos tratar o sintomas da depressão, mas nós queremos encontrar as causas dos sintomas, a razão por que você está deprimido. No entanto, simplesmente, nomeando a razão para a depressão não é suficiente para superá-lo também. É necessário percorrer o caminho novamente, com cuidado e atenção, com ouvidos atentos para o sofrimento e para as alternativas de superação.

O processo terapêutico em si, que anda de mãos dadas com a relação terapêutica, é o que traz sobre a mudança.

Como seres humanos, os terapeutas não podem mudar o que aconteceu com as pessoas. Mas nós podemos mudar a maneira que as pessoas são tratadas, a maneira que elas pensam sobre si e as formas que elas se permitem sentir sobre si mesmos e sobre os outros em suas vidas.

Como a Psicanálise entende a Depressão?

Relacionamentos são muitas vezes afetados pelos efeitos devastadores da depressão e recuperar um sentido de confiança em pessoas não pode acontecer apenas com a medicação e fora de uma relação terapêutica.

A vida após a depressão

Pessoas que já tiveram depressão muitas vezes sentem medo de ter recaídas. Contudo, tal incidência é menor nos indivíduos que se mantêm em tratamento psicofarmacológico profilático (quando necessário) e seguem com mudanças de estilo de vida e pensamento. Fatores psicossociais muitas vezes são causa de recidiva de quadros depressivos.

Importância de manter a psicoterapia e sintomas de recaída da depressão

É muito importante manter a psicoterapia após a alta médica, como modo de evitar recaídas. A psicanálise pode ajudar a pessoa em seu processo de autoconhecimento, além de fornecer um espaço para falar de suas angústias, aflições e estresses do dia a dia. Por isso é necessário continuar com a psicoterapia mesmo após a remissão do quadro depressivo.

Se por acaso você observar sinais de recaída, deve buscar o quanto antes o auxílio do Psicólogo ou Psiquiatra, que poderá avaliar o quadro e verificar se de fato trata-se de uma recaída. Os sintomas de uma recaída são semelhantes aos do quadro depressivo anterior e devem ser avaliados com cuidado e atenção.

Tags: , ,